Reservas

Nem sempre podemos contar com um céu azul e um clima propício para a navegação aérea. Uma chuva muito forte, ventania, névoa baixa, neve e fenômenos climáticos mais intensos, como furacões e tempestades tropicias, acabam interferindo no tráfego aéreo, com fechamento de um aeroporto ou restrições para o uso das pistas. Consequentemente, há atrasos e cancelamentos de voos. Nessas ocasiões, os passageiros que se viram prejudicados devem procurar imediatamente as empresas aéreas para remarcar seus voos e garantir seus direitos.

Ter um Voo Cancelado causa transtornos, não só para os passageiros, como também para as companhias aéreas. Um voo cancelado provoca um efeito dominó, pois afeta toda a programação do passageiro: conexões, horário programado para check-in no hotel e passeios turísticos. Ele pode ser cancelado em decorrência de vários fatores, que vão desde más condições meteorológicas a problemas técnicos.

Cinco causas mais frequentes de atrasos e cancelamentos de voos:

Quais os motivos que levam a um cancelamento ou atraso de voo e quais são os seus direitos quando isso acontecer? Continue a leitura e descubra!

1. Condições climáticas (névoa baixa, chuva ou vento forte, neve etc.): tais condições podem restringir o uso das pistas, exigir maior distanciamento entre decolagens e pousos ou até fechar o aeroporto. Como é difícil saber de onde vem a aeronave que fará o nosso voo, o fechamento do aeroporto de Porto Alegre pode afetar um voo que decolaria de Brasília, por rexemplo, caso a aeronave for a mesma;

2. Manutenção não programada na aeronave: equipamentos complexos como aviões, por mais seguros que sejam, podem apresentar problemas inesperados, como necessidade de troca de pneus, problemas elétricos etc. Muitas vezes as empresas não dispõem de aeronaves reservas no aeroporto, o que certamente implicará no atrasou ou cancelamento do voo.

3. Excesso de tráfego aéreo: muito comum no Brasil, pode estar associado aos gargalos na infraestrutura aeroportuária (ex: falta de posições para estacionamento ou taxiamento das aeronaves), condições climáticas nas proximidades do aeroporto (obrigando as aeronaves a desviarem) ou em outros aeroportos (quando o aeroporto recebe aeronaves não programadas oriundas de aeroportos fechados). Como no Brasil a maioria das aeronaves operam trilhos cujas escalas demoram em média 40 minutos, um atraso numa fase do voo vai ocasionar um efeito em cascata em todos os voos seguintes;

4. Problemas com a tripulação ou falta de tripulação: um piloto ou comissário que faltou ao serviço ou que chegaria num voo atrasado ou cancelado. Por mais que as empresas disponham de equipes reservas que ficam em stand by, às vezes o acionamento dessas equipes falha ou demanda mais tempo que o previsto;

5. Volume de ocupação no voo: Uma ocupação muito baixa (inferior a 30%) pode levar a empresa aérea a juntar o voo com outro que sairia mais tarde ou a cancelar e reacomodar os passageiros; por outro lado, quando o avião está completamente lotado, o embarque e desembarque é mais lento e pode demorar muito mais que o previsto.

By | 2018-05-14T00:48:55+00:00 Maio 14th, 2018|Uncategorized|